Empreendedorismo Feminino, mais que evolução, resistência!

Nunca se falou tanto sobre Empoderamento Feminino como neste último ano. E é neste cenário que, segundo o levantamento do Sebrae, das 995 mil novas empresas registradas no país, 51,5% foram abertas por mulheres. Estima-se que 7,9 milhões de mulheres no país são donas de seu próprio negócio, desconsiderando os empreendimentos informais.

Mesmo diante do crescimento, ainda são inúmeras as barreiras sociais e econômicas encontradas ao longo do percurso. O maior desafio começa em casa e é cultural: a má distribuição de funções domésticas quando comparado ao gênero masculino. Cuidar da casa e dos filhos ainda, mesmo em 2018, leva muitas mulheres a abdicarem de seus objetivos profissionais por necessidade ou pressão social.

Outro impasse é o preconceito, segundo uma pesquisa realizada pelo Boston Consulting Group (BCG), em parceria com a MassChallenge (rede de aceleradoras norte-americana que oferece mentoria e recursos para startups) com 350 startups, as empreendedoras são questionadas com maior frequência se possuem o conhecimento técnico básico para liderar um negócio. A diferença se fez evidente quando observado que dentre as 350 startups que integraram o estudo, as lideradas por mulheres recebiam investimentos menores que as lideradas por homens mesmo que, a longo prazo, eram as que mais geraram receitas. O Sebrae em um levantamento internacional verificou que menos de 10% do empreendimentos femininos recebem recursos externos na comparação com o que acontece nas empresas de homens, reforçando que há ainda muito o que evoluir para tornar o mercado empreendedor mais justo e igualitário.

Diante disso é possível afirmar: empreendedorismo feminino é um ato de resistência. Da dificuldade encontra-se a oportunidade e eis que é comum encontrar redes de mulheres que na dificuldade de arrumar um emprego que respeitasse suas condições de recentes mães, se uniram para projetar pequenos empreendimentos realizados em suas próprias casas (atualmente, 35% das mulheres possuem um negócio dentro de suas residências); é possível encontrar também coletivos que fortalecem essa corrente, estimulando a independência financeira e o crescimento empresarial com workshops, oficinas, indicações, entre outros. “A força da internet para ajudar mulheres empreendedoras é o melhor local onde eu consigo divulgar o meu trabalho e encontrar mulheres que fazem trabalhos maravilhosos de fortalecimento umas das outras. Eu acho fantástico, é uma era de liberdade e libertação das mulheres. Não só pela necessidade, mas para poder também ficar mais próxima dos filhos e ter sua própria liberdade de trabalhar com o que se gosta”, pontua Larissa Lima, proprietária da Tizum Eventos e aluna do primeiro semestre de Marketing da Fatec Sebrae.

E por falar em Fatec Sebrae, os cursos de marketing e gestão de negócios e inovação contam com alunas empreendedoras que se utilizam do conhecimento obtido em sala de aula para galgar degraus em suas jornadas profissionais. É o caso da Taynara Alves que possui uma startup de pesquisa e desenvolvimento na área química e cursa o 5º semestre do curso de Gestão de Negócios e Inovação: “Ao entrar no curso de GNI, eu nem sabia o que era uma startup – isso já era 2016. Como minha primeira formação é Bacharel em Química, essas habilidades empreendedoras e de gestão estavam distantes de mim. Durante o curso, enxerguei a possibilidade de levar um produto de pesquisa de laboratório para o mercado, e assim nasceu a Startup InQuímica”, conta.

A empresa de Taynara comercializa produtos que retiram até 85% dos agroquímicos e metais pesados dos alimentos, um ramo interessante mas que precisava de habilidades de empreendedorismo para atingir seu potencial. “Passei por programas de aceleração e desenvolvi muitas habilidades que eu nem imaginava que pudesse ter. O curso foi essencial para tudo isso. Hoje me vejo como uma cientista empreendedora e quero desenvolver e colocar no mercado cada vez mais soluções de impacto para a sociedade. Posso dizer que o curso mudou minha mente, minha vida e aprimorou meus planos e sonhos”, finaliza.

As inscrições para o vestibular 2019 dos cursos de Marketing e Gestão de Negócios e Inovação da Fatec Sebrae já começaram e vão até o dia 13 de novembro através site www.vestibularfatec.com.br.

Categorias